05 outubro 2008

Buquê de inveja

Pobre mulher com um buquê de rosas nos braços, e um ar de satisfação no meio daqueles sorrisinhos em que não se vê os dentes. As outras mulheres a olhavam, com a inveja e/ou vontade de ter uma sorte(ou não) como ela teve. De ser presenteada com rosas vermelhas e sair por ai desfilando pelas ruas da cidade num contentamento tôlo que só as fêmeas tem. Ela o abraça com ar de posse, confesso que a olhei como quem também gostaria de receber um, como quem acalenta um filho recém-nascido nos braços e pensa :é meu. Flores são sempre bem vindas enquanto vivas, elas e nós.

Um comentário:

Raquel Rodrigues disse...

Achei ótimo...muito bom!!
mas não sei explicar.. e uma reação que muitas vezes sentimos, e tem bastante haver com coisas que nós acontece.