13 dezembro 2017

Fessô

Me ensina como não te olhar da cintura para baixo quando falas de Augusto dos Anjos. Sua boca se movimentando, confundo a aula com suas poesias mudas que escreve para mim em seu leito, que me dedicas em homenagens solitárias em outros púbis.
Me ensina mais sobre cinema, fala de novo que minha boca é mais carnuda que a da Brigitte Bardot. Me apresenta uma nova cerveja de trigo e treina mais um pouco minha paciência musical para o Jazz.
Fala para mim que ainda tem saudade, que suspira quando lembra da nossa coletividade.
Mostre-me seus planos artísticos em todos os ângulos que as câmeras permitem.
Me conte suas experiências em outros continentes, confesse seus amores bandidos banidos a força.
Experimente me olhar pela lente, com você por cima ilustrando em quadros os gemidos do quarto apagado.
Me ensina como declamar Baudelaire nos bares esperando seu turno encerrar.

30 novembro 2017

Pensa...

Dormi com fome
Acordei com sede
Cortei laços
Bati no mundo
Pulei janelas
Juntei pedaços
Fechei portas
Descobri meu osso
Descobri meu corpo
Mostrei meu sexo
Surtei sem nexo
Pensei pouco
Gostei muito
Gozei fundo
No fundo do quintal

29 novembro 2017

Jorgelina


Essas coisas do outro lado
Do lado de lá
Do andar de cima
Do lugar donde São Pedro está
Essas coisas não existem
Vida após a morte
Casa mal assombrada
Espíritos que rodeiam
Conversa psicografada
Essas coisas não existem
A memória não me falha
Lembro do seu cheiro
Seu cigarro de palha
Suas galinhas no terreiro
Sua mão segurando o queixo na janela
Suas digitais dentro do tacho
Ô vó! Vem falar comigo
Me dê notícias do mundo de lá
"Me dê um abraço, venha me apertar"
Vim tirar os cravos dos seus ouvidos

22 novembro 2017

Sonho

Adormeci de um jeito
Acordei de outro
Despertei em outro país
Me olhava nos olhos bagunçando meu cabelo
Me beijava devagar de olhos bem fechados
Nosso despir foi simultâneo
Numa calma disfarçada
Um alinhamento de umbigos
Sonhei contigo!?
Acordei suada
Esmurrei o travesseiro irritada
Não fizestes amor comigo

20 novembro 2017

Latino


Eu te aquecerei nas noites frias
Para minimizar suas horas de trabalho
Terei o seu carinho para as tardes quentes
Farei cálculos para que 
Nossos relógios se encontrem
Nossos vôos tenham o mesmo destino
Nossa cama seja uma por uma semana
Quero seu sangue latino pulsando
Seu coração palpitante
Sua boca na minha boca
Seus braços no meu abraço
Teus pés sobre meus pés
Tua barba em meu pescoço
Meu rosto em seu peito
Estranhamente desejo-te
Rapidamente desejo-te
E sinto em dias
O que normalmente demora meses

16 novembro 2017

Lave-me os pés

Leve-me
Para longe daqui
Lave-me
Suave
Me abduza
Na nave
Aconchegue meu abraço em teu colo
Na nave
Vamos fugir daqui
Navegue pelas extremidades
Comece pelos pés

Colômbia pictures

Distância mínima
Vizinhos de continente
Falemos
Falemos de amor
Corações na bandeja
Sem anos de solidão
Acordei com o desabotoar do sutiã
Um dedo passeava pelas minhas costas
Eu digo
Não amo pelas metades
Não recebo amor inteiro!



charla distancia mínima
Vecinos continente
Vamos Hablemos de Amor
Corazones línea Pan
Sin años de soledad
me desperté con el sujetador desabrochando
Un dedo caminando detrás de la espalda
Yo digo
No amo por las mitades
No recibo amor entero!