05 outubro 2008

Os pés se aquietam intimidados
Crepuscular naquele pescoço descoberto
Desde sempre coberto de insinuação
Sobem à cabeça e desviam nossas pernas
São simples sombras sentadas atrás dos atos
Prefácios de desfechos
Lembranças inspiradoras de invernos passados
Galanteios bem planejados
Que sóis de inverno meu calor desgela ?
Anjos não podem falar do que não sentem
Demônios me fazem sentir.
Sombras , pescoço, lama
Crepúsculos em meio nossas pernas
03/07/06

Nenhum comentário: