19 dezembro 2008

Mastigado.

Na aurora dos nossos corpos
Vontade matinal
Bolo de chocolate
Delírios,
Era o crepúsculo que o anunciava .
A forca que nos esperava astuta
A força que nossos cabelos tinham
Seriam arrancados se necessário
Enlaçávamos-nos entre os fios
Que não chegavam a nos atrapalhar
Nos embolávamos como arame farpado
Que se uniam para misturar-se , perfurando , abrindo caminhos
Aumentando a ferida
Criando no corpo a alvorada das vontades enferrujadas
Na ânsia do tétano amoroso.

Nenhum comentário: