30 julho 2009

Carta ao Tom

Se não estivesse tão insatisfeita com minha barrriguinha de chop, prepararia para você um jantar à luz de velas , bom, seria alguma coisa simples que despusesse nas minhas latas ultimamente não muito fartas, comeríamos qualquer coisa com farinha, exceto nós mesmos; ao som de Lenine e vestida somente com um grande colar de pérolas cintilando em contraste ao gritante vermelho bordô do meu batom.
Brindaríamos nos meus copos de extrato de tomate o melhor vinho que eu pudesse comprar, seco , para plantar um romântismo, sem dispensar nossas tão queridas louras geladas.
Mas devido a minha insatisfação , acho que podemos manter as bebidas e que tal jogar baralho na varandinha ou jogar cinuca no boteco ao lado?

Nenhum comentário: