17 setembro 2010

Renascer das cinzas.

Ela estava morta
Seu corpo coberto de sêmem
Jogado no chão de flores
Um cisto na vida alheia
Polén no jardim interno
Incomensurável volúpia
Daquela que hojé é cadáver de borboleta.

Nenhum comentário: