12 setembro 2010

Rua Maranhão

O cartão postal nunca chegou
Já se passaram três estações
Que acomanho pela calma do pé de Amora
Surge de tempos em tempos, saudade dos pedaços
Dos fragmentos da alma.
Naquela rua tudo está em construção
Passo e assobiam-me às costas
Não é tão ruim ser musa de peão.

Nenhum comentário: