16 abril 2012

Doce.

Invadida pelo que me apetece
Na diferença
Na besta busca
Eu assumo que sinto falta
Não escondo
O que me assusta
Nos encontros dos corpos
É que é meu caminho para chegar à alma
É a minha vontade de me apaixonar
Parada numa encruzilhada
E ter a poeira retirada dos olhos.




Um comentário:

HerrBrandt disse...

Sem dúvida você é dotada de uma admirável coragem.