28 junho 2012

Ode as avessas ao caro Mr. Rundas Rolf

Minhas palavras?Não seria meu corpo de duas cesarianas!

Saem melhores quando essa vida me leva como um animal indo para o abate

Nenhuma morte é aceitável

Mesmo a morte prematura da minha paixão.

E essa maldição de barba que não me sai do pensamento

Me deixou em desalento...

Lembro de detalhes insólitos

Um aperto que dói bonito,

Por nada ter sido algo além de ilusão

E como um homem pode ser impiedoso

Ao ponto de plantar o entusiasmo em você, sem ter a intenção de te amar?

“A eterna responsabilidade sobre as pessoas que cativamos”

Perdoe minha loucura, minha péssima interpretação da realidade

Eu só queria ler seus poemas!!!!!!!!!!!

Eu não devia esperar que escrevesses nas minhas costas nuas

Nem esperar que cozinhássemos juntos algo supra picante

Sequer imaginar que deixaríamos cair pipocas embaixo do cobertor

Nada como a desolação de fêmea desprezada.

Decepções abrem as feridas

Eu me entendo melhor quando estou em carne viva

Não sofro, mas lamento profundamente pela doçura provada das “primeiras vezes”

Pois elas um dia, brevemente ou não, serão “últimas vezes”.

Oficialmente a poesia está paga.

Nenhum comentário: