04 junho 2012

Rato queijo, Eu & Poesia


Acostumei com divagações

Os sabores que minha língua conhece

Os que pretende conhecer

Escrever sobre emoções

Espasmos literários

Pintor nasce para pintar

Rato gosta de queijo

Eu escrevo poesia

Nem todos gostam de jiló

Eu não como pequi

Imagine um ensaio amoroso

Desejo nos olhos calados

Uma boca tímida

Mas o corpo, esse fala por si

Magnetismo

Palavra bonita

Íman atrai de todos os lados.

Nenhum comentário: