15 outubro 2012

Visão de libélula

Mariposas em meus ouvidos
O som das sirigaitas
A visão de libélulas
Eu gostaria de não ver
O amor que toma pílula
Censura meus assobios
Me corta da árvore um galho
Laço é de chita
Tapete de juta
Colcha de retalho
Eu vivo sonhando
Até que meu amor apareça
Com você eu me valho.



Nenhum comentário: